O Novo Ensino Médio

Com certeza você já assistiu ao comercial do Novo Ensino Médio na TV, mas o que muda? Isso será bom para nosso país ou não?

O Ensino Médio, no Brasil, vai passar por uma reformulação para reforçar e melhorar a qualidade da educação. Ao longo de dois anos, o governo vai investir R$ 1,5 bilhão para converter escolas para tempo integral. Pela programação do Ministério da Educação, a mudança começará a partir do primeiro semestre de 2017. Até o fim de 2018, a meta é ter 500 mil jovens em escolas de tempo integral. Mais do que o tempo maior, o objetivo é ajudar o estudante a se desenvolver mais plenamente.

Para a mudança ocorrer, as secretarias estaduais de Educação deverão indicar um número de escolas para participar do programa. Cada unidade que aderir ao projeto vai receber R$ 2 mil por aluno ao ano. A mudança será feita por meio de Medida Provisória. O texto diz que as disciplinas da base comum continuam a existir, mas a grade será definida pela Secretaria de Educação do Estado.

novo-ensino-medio

Ampliação gradual da carga horária

A carga horária mínima anual, de 800 horas, será gradualmente ampliada para 1,4 mil horas. O Plano Nacional de Educação (PNE) prevê para 2024 até 50% das escolas atendidas pelo ensino integral e 25% das matrículas no Ensino Fundamental dentro do mesmo modelo.

Flexibilidade do currículo

Com as mudanças, o currículo do Ensino Médio vai ser dividido em dois, uma parte com disciplinas fixas obrigatórias e outra com optativas, nas quais o aluno poderá construir uma grade adequada ao seu perfil e seu próprio projeto de futuro.

Autonomia para os Estados

O currículo básico não poderá superar 1,2 mil horas por ano, e a parte optativa será associada ao contexto histórico, econômico, social, ambiental e cultural de cada região. Esse modelo dará mais autonomia para os Estados, que poderão criar seus próprios currículos e políticas para o Ensino Médio.

Formação técnica

O Novo Ensino Médio vai ofertar formação técnica profissional, com aulas teóricas e práticas. Essa qualificação técnica vai ocorrer dentro do período normal, sem a necessidade de que o aluno esteja no ensino integral.

Créditos para o Ensino Superior

Quando o aluno concluir uma disciplina no Ensino Médio, ele terá adquirido um número específico de créditos. Esses créditos poderão ser usados quando ele chegar ao ensino superior, ou seja, ao entrar na Universidade ou no Ensino Técnico, poderá aproveitar disciplinas que já cursou.

ENTREVISTA COM MARIO SERGIO CORTELLA

 

Fonte: https://goo.gl/osS8aM

Anúncios

Feliz dia dos professores!

dia-do-professor-9

Feliz dia dos professores para todos nós, professores e futuros professores!

Ao longo do caminho conheci tantos professores que contribuíram na minha trajetória. E vários amigos que assim como eu, estão cursando uma licenciatura porque escolheram e não por falta de opção.

HISTÓRIA DO DIA DOS PROFESSORES:

No dia 15 de outubro de 1827, Pedro I, Imperador do Brasil baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A ideia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima – caso tivesse sido cumprida.

Mas foi somente em 1947,120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.

Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. O longo período letivo do segundo semestre ia de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa – e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.

O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, Piracicaba, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça – inclusive dos pais. O discurso do professor Becker, além de ratificar a ideia de se manter na data um encontro anual, ficou famoso pela frase ” Professor é profissão. Educador é missão”. Com a participação dos professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a ideia estava lançada.

A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: “Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias”.

 

Fonte: Wikipedia

Livro: Como vencer na vida sendo professor – Hamilton Werneck

IMG_20160719_132142766_HDR

O livro que venho comentar hoje foi presente da minha mãe, uma grande incentivadora da minha profissão e carreira na área de Letras. O autor dessa obra é o ilustre Hamilton Werneck, acredito que quem é da área da educação já ouviu falar nele, mas se você ainda não o conhece, vou apresentá-lo.

O Professor Hamilton Werneck é doutorando, pós-graduado em educação, pedagogo e professor do ensino superior. É autor de 26 livros publicados, alguns já traduzidos para o espanhol e inglês, e possuí 9 DVDs educativos.

Primeiramente quero dizer: que livro gostoso de ser lido, você vai passando as páginas sem perceber e quando se dá conta avançou bem na leitura. Nesse livro, Werneck nos mostra um guia para atuar em sala de aula, como traçar nossos planos e metas (e tem espaço para escrevermos sobre isso). Ele nos mostra que TUDO relacionado com a nossa profissão de professor, só depende da gente. Incentiva a nos valorizar, não termos vergonha de falarmos que somos professores, apesar de alguma desvalorização da sociedade perante a essa classe.

Ele nos incentiva desde a escolha profissional, da importância de nos atualizarmos mesmo se você atuar no setor público, pois estabilidade não tem nada a ver com conhecimento adquirido. E vai passando por todas as etapas da vida de um professor, a primeira vez que entra na sala de aula, sua meta salarial, como dar aulas que despertem os alunos, a importância da aparência do professor, entre outros assuntos.

Site do autor: http://www.hamiltonwerneck.com.br/principal.html