Livro: A metamorfose – Franz Kafka

Imagina a seguinte situação: Você vai dormir um dia e ao acordar percebe que está em um corpo de um monstro macabro? Isso acontece com o personagem principal dessa história, o Gregor Samsa.

Gregor é um caixeiro viajante e provedor da família, ele que sustentava sua casa. Seus pais já não trabalhavam há anos e a irmã mais nova só estudava. Ele também havia comprado o apartamento onde a família morava. Um dia, Gregor Samsa vai dormir e acorda em um corpo de um inseto monstruoso.

Ele não sabe o que aconteceu para ele ter ficado assim, mas sua cabeça ainda funciona como de humano. Ele tenta levantar-se da cama, pois tem que trabalhar e não pode atrasar por conta do horário do trem. Assim, sua família começa a desconfiar, pois Gregor nunca é de levantar tarde. Ele atrasa tanto que o gerente de seu trabalho vai até sua casa para saber o que está acontecendo.

O leitor acaba conhecendo mais sobre o personagem principal através de seus próprios relatos e dos membros da família. Até porque a família após saber da condição de Gregor, entra em conflito e todos têm que voltar a trabalhar. A irmã é a única que ainda cuida dele, pois os pais apesar de terem um carinho por ele, rejeitam de ver o filho naquela situação.

Franz Kafka foi um escritor de língua alemã, autor de romances e contos, considerado pelos críticos como um dos escritores mais influentes do século XX. A maior parte de sua obra, como A Metamorfose, O Processo e O Castelo, está repleta de temas e arquétipos de alienação e brutalidade física e psicológica, conflito entre pais e filhos, personagens com missões aterrorizantes, labirintos burocráticos e transformações místicas.

A Metamorfose é uma novela escrita por Franz Kafka, publicada pela primeira vez em 1915. Veio a ser o texto mais conhecido, estudado e citado da obra de Kafka. Apesar de ter sido publicada em 1915, foi escrita em novembro de 1912 e concluída em vinte dias.

ONDE COMPRAR O LIVRO: AMAZON

 

Anúncios

Livro: Redação Prática para Enem, Concursos e Vestibulares – Ismar Souza

A leitura que indico hoje é um livro que traz definições bem básicas para quem está começando a estudar mais produção textual. Se você quer algo mais técnico e mais profundo sobre o assunto não aconselho (em breve, venho com mais indicações para quem quer um livro mais técnico).

Este livro aposta numa linguagem de fácil entendimento para quem sempre teve dificuldade de entender como se planeja e começa uma redação. O que achei mais interessante é que ele também conceitua alguns aspectos importantes da nossa gramática de uma forma bem simplificada. Afinal, temos que saber sobre o uso de alguns aspectos gramaticais para começarmos a escrever um bom texto.

O livro está disponível de graça no Kindle Unlimited ou você o encontra por R$ 2,99 avulso. (CONFIRA O PREÇO)

Livro: O Bem-Amado – Dias Gomes

Como estava com saudades de falar sobre livros por aqui. O livro de hoje é uma comédia de costumes, gênero do teatro brasileiro, que trata da sátira de algo que acontece na nossa sociedade no formato de peça teatral.

O Bem-Amado vai contar a história da cidade de Sucupira que não tem cemitério. Toda vez que alguém morre é um transtorno, pois tem que ir para cidade vizinha para realizar o enterro. Com isso, o candidato a futuro prefeito da cidade, Odorico Paraguaçu, vai prometer que se eleito vai construir um cemitério para cidade. Ele tem uma frase no livro que diz: “Uma cidade que não respeita seus mortos, como pode ser respeitada pelos vivos”.

Odorico é eleito e finalmente constrói o cemitério. Acompanhamos tudo isso com muito caixa dois, obras superfaturadas, desvio de dinheiro, etc. (não muito diferente do que vemos hoje em dia). Quando a obra fica pronta, Odorico não consegue inaugurá-la, pois ninguém morre na cidade. Ele já tinha espalhado para Deus e o mundo que a inauguração do cemitério seria realizado com um enterro custeado pela prefeitura, e se isso não acontecesse seria passar atestado de inutilidade.

Dias Gomes (1922-1999) foi um dramaturgo e novelista brasileiro. É autor de novelas que fizeram grande sucesso na televisão, entre elas, “O Bem Amado”, “Roque Santeiro” e “Saramandaia”.

Formatado para o teatro, o texto “O Bem Amado” chegou primeiro à TV, em um especial da TV Tupi, em 1966. Só em 1968, numa montagem do Teatro de Amadores de Pernambuco, é que a peça ganhou os palcos do teatro.

 

ONDE COMPRAR O LIVRO: AMAZON