Dúvida dos leitores sobre o TCC

Mais um vídeo sobre o TCC respondendo as perguntas dos leitores!

Espero que gostem!!

 

Anúncios

Um comentário sobre “Dúvida dos leitores sobre o TCC

  1. Meu TCC, como eu já disse em comentário anterior, foi sobre cinema. Minha maior dificuldade foi traduzir Bergala do original Francês. Outra grande dificuldade foi compreender Deleuze em seus textos “Imagem-Tempo e Imagem-Movimento. Quando já estava traduzindo o segundo capítulo de Alain Bergala, um professor me ofereceu um livro traduzido, cuja edição já estava esgotada e não se encontrava nem em sebos. Fiquei feliz porque aquela era a minha principal referência. Quanto à defesa, talvez por ser universidade pública, tive que fazê-la diante de uma banca composta pelo pós-doctor José Miguel de Sousa Lopes, pela doutora Vânia, da área de Cinema da UNA, além da orientadora Dra. Áurea Guimarães Tomazzi, hoje uma grande amiga e interlocutora no campo do cinema e da literatura. Fiquei feliz por ter sido aprovado com louvor, sem uma vírgula sequer para se corrigir no texto. Tive, sim, um grande susto, algo que já vinha sendo objeto de conflito entre eu e minha estimada orientadora, qual seja, a que que usara no texto muitas palavras poéticas demais para um TCC. Fora orientado a trocar algumas palavras por outras mais “acadêmicas”, mas, quanto surpresa quando, na minha defesa, ao final, quando o PhD José Miguel disse, já no final de suas considerações: tenho umas anotações que fiz, na página 47, vamos lá, veja… – E eu, com um frio na barriga, pensando que aquela seria a cacetada que faltada para derrubar todo meu projeto de pesquisa e escrita – buscava a referida página no meu original… Quanto alívio quando ele, sem hesitar, disse, lendo um parágrafo do texto: “Isso é muito lindo! É muito poético!”. Ufa! Veio, então aquele alívio primordial que esvazia toda tensão. Minha orientadora, depois da defesa, disse-me, sorrindo: “… E eu podando sua poética!… Justamente o que havia de mais lindo no texto”. Vale lembrar que a primeira versão da escrita do TCC, quando encaminhada à orientadora, numa quinta-feira – lembro bem! – só poderia ser lido na segunda ou terça, para, então, tecer algumas considerações sobre o texto e orientar melhor a escrita. Isso porque a orientadora tinha seis mestrandos e estaria atarefada com as dissertações naquele fim de semana. Quanto foi minha surpresa quando, já no sábado, recebi um e-mail daquela magnífica professora, dizendo: “Estou degustando seu texto!”. Qual não foi meu alívio, pois já não aguentava mais esperar um puxão de orelha ou outra qualquer repreensão por algum provável problema do texto. Essa é minha relação com o TCC. Agora estou fazendo uma pós e espero a surpresa de outras experiências com o relatório da pesquisa que devo fazer em dois mil e dezenove. Espero, embora com um bocado de medo, que a experiência se repita: igualmente inesperada, igualmente agradável!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s